A maioria da bancada mineira votou pelo arquivamento da denúncia contra o presidente Michel Temer (PMDB). Dos 53 parlamentares de Minas, 33 acompanharam o voto do deputado Paulo Abi-Ackel (PSDB), 18 votaram contra o relatório do tucano e pediram a continuidade das investigações contra o presidente

O deputado Rodrigo Pacheco (PMDB) se absteve e o deputado Eduardo Barbosa (PSDB), que perdeu a esposa vítima de acidente de trânsito no início da semana, se ausentou da sessão.

A articulação do Palácio do Planalto para liberar verbas para emendas parlamentares foi decisiva para garantir uma grande votação entre os mineiros. Dos 15 parlamentares mineiros que mais conseguiram liberar os recursos para emendas parlamentares nos últimos dois meses, 13 votaram em favor de Temer.

Os parlamentares mineiros que apoiaram o Palácio do Planalto apresentaram o voto rapidamente, alguns falaram apenas “sim” no microfone, sem explicar os motivos de defenderem o arquivamento da denúncia. Outros afirmaram que o voto em favor de Temer se deu pela estabilidade econômica do país.

Os deputados Ademir Camilo (Pode) e Tenente Lúcio (PSB) mudaram o voto. Eles tinham afirmado anteriormente por meio de assessores que votariam contra o governo, mas mudaram de ideia e votaram pelo arquivamento. Ademir Camilo foi um dos que mais recebeu a liberação de emendas parlamentares entre junho e julho, conseguindo empenhar R$ 9,6 milhões.

Abaixo você pode conferir a tabela completa de como votaram nossos deputados. Lembramos que o relatório aprovado é pelo arquivamento da investigação, ou seja, quem votou SIM apoiava esse arquivamento e o NÃO é para prosseguir a investigação.

Selecionado os deputados mais votados em nossa região

Fonte: Jornal Estado de Minas

Deixe seu comentário